Expedição Marieta 2004
10 a 11/07/2004 | Maracanã/PA
PATROCINADORES DESTE EVENTO

Julho é o mês das férias de verão para os Paraenses. Nada melhor então, do que curtir uma bela praia sob o sol quente da temporada, ainda mais quando esta praia é um verdadeiro paraíso deserto e pouco conhecido. É o caso da Praia da Marieta, localizada no município de Maracanã, mas visível a partir de Salinópolis. É pouco conhecida e com pouquíssimos frequentadores pela dificuldade em seu acesso. Somente veículos com tração 4x4 conseguem chegar lá e ainda dependem da maré e de um bom mapa, pois o caminho não é sinalizado. De outra forma, somente de barco a partir de Maracanã ou Salinópolis. São quilômetros de areia fina e branca banhadas pelas águas do Atlântico, em meio a um cenário realmente parasidíaco. O Jeep Clube do Pará já esteve em expedição na ilha dá nome à praia por diversas vezes. No sábado, 10 de julho, teve início a Expedição 2004 à Marieta com 13 veículos partindo em comboio de Belém para encontrar com outros dois em Nova Timboteua, vindos de Salinópolis. Como o objetivo era chegar na ilha com o dia ainda claro, saimos do asfalto logo após Nova Timboteua para um ramal que dá acesso à Fazenda Canaã. Percorremos vários quilômetros em piçarra, areia e alguns trechos com lama. Logo no início os obstáculos surgiram, fazendo com que alguns carros atolassem. Com a quantidade de convidados sem experiência no off-road e com veículos sem pneus adequados isto era previsível e ao mesmo tempo desejado, pois demonstra claramente o aumento no interesse pela prática do Off-Road 4x4, cuja divulgação e incentivo são objetivos básicos do JCP.

Pegamos um pequeno trecho de asfalto novamente, para entramos no ramal que nos levaria à Marieta, na cidade de Nazaré. Aproximadamente uma hora e meia depois, chegamos à ponte que permite a passagem para a ilha. Seu estado é precário, tendo de ser transposta com muito cuidado. As dificuldades maiores estavam por vir. O caminho dentro da ilha é realizado em parte através de mata fechada, com muitos tocos na beira do ramal. É necessário muito cuidado pois qualquer descuido pode acarretar sérios danos aos veículos. Alguns ainda chegaram a topar com estes tocos, mas sem maiores problemas. Além disto, alguns trechos estavam com o solo bastante instável, provocando as emoções de ter de acionar a tração reduzida para poder atravessar os obstáculos. Mais uma vez, o espírito de solidariedade teve de vir a tona, com os pilotos de maior experiência tendo de auxiliar os novatos. Chegamos na praia por volta das 18 horas, quando nos dirigimos para o local do acampamento, onde encontramos uma pescadora nativa que havia acabado de puxar alguns peixes em sua rede. Claro que fizemos negócio e contratamos para que ela providenciasse um espetacular "avoado" - peixe fresquíssimo, grelhado diretamente na brasa apenas com sal e limão. Delícia de jantar, que somente os que possuem o espírito da aventura podem experimentar. Papos, mentiras, verdades e exageros sob um céu limpido que revelava todas as estrelas possíveis, regaram a noite. Do nosso acampamento, via-se as luzes de Salinópolis.

Na manhã seguinte, desmontamos o acampamento para mudarmos de local, rumando para o extremo oeste da ilha, de onde podemos avistar a ilha de Algodoal. Lá montamos nova base, para tomarmos um revigorante banho de mar e preparamos mais um avoado, desta vez fazendo par com um churrasco. Vida ruim é assim mesmo. Lá ficamos, aproveitando a praia enquanto tinhamos de esperar a maré descer para podermos regressar. Isso somente aconteceu no final da tarde. Acabamos por ter de entrar na trilha no escuro, o que ocasionou um maior nível de adrenalina, pois o caminho após nossa passada de vinda estava bem pior, fazendo com que muitos ficassem atolados e necessitassem a ajuda dos companheiros. Saímos no asfalto por volta das 20 horas. De lá, parte do grupo rumou de volta a Belém e outra foi para Salinópolis, de onde retornariam depois. Como diria nosso eterno presidente Ewerton, a expedição foi um sucesso!

Este evento teve a participação de 15 jipes, pilotados por 7 sócios e 8 convidados, com a companhia de 10 zequinhas.
Piloto Zequinhas Veículo
Iran Samuel, Iran Neto, Ana Irene Brutus III - Land Rover Defender 110
Cláudio Pedra Pedrita Matinta Pereira - Toyota Bandeirantes
Lilico Nicole, Renata Agulinha - Troller T4
Hérycles Yuri Pathifa - Nissan Pathfinder
Tavinho Alcina
Franklim Andressa
Ewerton Thays Sapo - Jeep Willys CJ5
Convidados
Eduardo
Carlos Marra Vânia
Antonio Roda Renata
Sílvio marvado - Jeep Willys CJ5
Jorge Roda Navarro Roda Wilder SuperSuki - Suzuki Vitara
Vasconcelos Patchanga - Toyota Hilux
Tonico Catarina, Lucas Manuel O Audaz - Toyota Bandeirantes
Mario Tadeu Luciano

FOTOS DESTE EVENTO

Veja outros eventos do JCP realizados em Maracanã/PA