Transcametá 2004
08 a 11/04/2004 | Cametá/PA
PATROCINADORES DESTE EVENTO

A trilha mais esperada do ano começou com festa. Uma largada promocional aconteceu em meio a um movimentado coquetel promovido pela Fênix Ford, uma das patrocinadoras da expedição, em Belém na quarta, dia 7, no momento do embarque dos veículos para Tucuruí. Treze dos dezenove veículos que partiriam de Belém foram embarcados em carretas com destino a Tucuruí. Os outros 6 seguiriam rodando para a mesma cidade, de onde sairia o comboio para enfrentar os mais de 200km até Cametá, na manhã de sexta, dia 09/04. Na tarde de quinta, os pilotos e seus zequinhas embarcaram em um ônibus de turismo de luxo, gentilmente cedido pela Açaí Turismo, empresa capitaneada pelo nosso companheiro Valdécio, para pegar estrada e pernoitar em Tucuruí. Uma viagem animada e agradável. sendo o ônibus conduzido por ninguém mais do que o próprio Valdécio, mostrando que além de campeão de rallye do Cerapió 2004 pilota com competência qualquer tipo de veículo.

Ao desembarcarmos em Tucuruí, foram distribuídas pelos veículos as caixas de Nova Schin oferecidas aos pilotos pela cervejaria e sua distribuidora de Belém, graças aos esforços do companheiro Molykote, que sempre apoia os eventos do JCP. Antes da partida, alguns pilotos ainda realizaram os últimos ajustes em seus veículos. A ansiedade era visível, já que a hora da verdade estava cada vez mais próxima. Partimos de Tucuruí às 10hs, saindo do Posto Texaco, cujo proprietário brindou a todos com bonés e bolsas. Logo ao sair da cidade, já entramos na estrada sem pavimentação e encontramos alguns caminhões atolados e sendo removidos com a ajuda de tratores. Tivemos que passar por um atalho, pois os caminhões impediam nossa passagem por este trecho. Rodamos por aproximadamente 90km até encontrarmos reais dificuldades. Neste ponto, chegamos ao já conhecido Buraco do Sadam. Um trecho de aproximadamente 200m com grandes dificuldades. Alguns jipes tiveram de ser ajudados para vencer este trecho. Depois de vencido o obstáculo, seguimos viagem encontrando pequenos trechos ruins mas sem maiores problemas, até entrarmos em um ramal que dá acesso à localidade de Joana Peres. Após percorrermos 4km neste ramal, surge outro grande problema. Um trecho de aproximadamente 500m completamente alagado nos separava do nosso destino. Takó em seu Javali tentou passar e mesmo com a grande altura do jipe não conseguiu vencer a água. Teve de ser ajudado, pois a água chegou a invadir o tanque de combustível, comprometendo o funcionamento do motor. Ao tentarmos voltar para a estrada, mais problemas. O trecho do ramal estava bem pior, devido à chuva e a própria passagem dos jipes, que deixaram a lama do caminho mais fofa e oferecendo grandes dificuldades. Vários jipes atolaram e tiveram de acionar os guinchos elétricos e até mesmo contar com a ajuda de trens formados por até 3 veículos para serem removidos do atoleiro.

Frustados por não ter podido ir até a bela localidade, seguimos viagem rumo à Fazenda que nos ofereceu apoio para o pernoite. Chegamos por volta das 19hs, sendo recebidos em uma excelente estrutura, com água corrente e luz elétrica provida pelos geradores. Todos cansados, ainda tivemos forças para rir e relaxar antes de nos entregarmos ao sono em nossas redes e barracas. Somente na manhã seguinte, pudemos constatar o belo local de nosso acampamento. A fazenda conta com uma estrutura completa, incluindo uma equipada oficina onde Cláudio pode reparar o eixo cardã de seu estreante Toyota, assim como Takó recuperar o Javali. O proprietário da fazenda, Sr. Carlos Vieira, recebeu a todos com extrema cortesia e gentileza, prometendo inclusive participar conosco da expedição a Cametá do próximo ano. Com ele, saimos para conhecer um porto da fazenda, localizado na margem do Rio Tocantins. Um local de grande beleza, onde pudemos tomar um maravilhoso banho. Ao Sr. Carlos Vieira, nossos sinceros agradecimentos pela acolhida carinhosa. Saímos do porto rumo a Cametá. Novas informações nos indicavam um caminho sem maiores problemas. Felizmente, contrariando as informações, encontramos pelo caminho alguns obstáculos para nossa diversão. Supresa ao encontramos em um bar na beira do caminho uma faixa do Clube dos Motoqueiros do Jeep Clube de Cametá, saudando nossa passagem. Chegamos na cidade já de noite, por volta das 19hs30. Banho, janta e cama formou o trio da preferência geral, já que tinhamos de tomar a balsa de volta para o Carapajó às 13hs do dia seguinte. Antes de sairmos, ainda tivemos tempo de almoçar na Praia da Aldeia. Durante a travessia na balsa, foi feita uma surpresa para Gilberto Duelo e Lúcio Barros: ambos foram devidamente batizados com um banho de lama. A animação era geral, dado o sucesso da expedição. Saindo da balsa, seguimos rumo à Belém, pela Alça Viária.

Este evento teve a participação de 16 jipes, pilotados por 13 sócios e 3 convidados, com a companhia de 11 zequinhas.
Piloto Zequinhas Veículo
Evaldo Brutus III - Land Rover Defender 110
Osvaldo Mayra Tatu - Troller T4
Lucio Barros Graça Onça d'Água - Land Rover Defender 110
Diou Trícia Nave - Toyota Bandeirantes
Iran Brutus III - Land Rover Defender 110
Cláudio Pedra Kleber, Pedrita Matinta Pereira - Toyota Bandeirantes
Chico Dadá Osama - Toyota Bandeirantes
Jaime
Gilberto Duelo Edi
Hérycles Sami Pathifa - Nissan Pathfinder
Nelson Ladico Pânico - Ford Ranger
Rogério Politi Magaiver Pit Bull - Jeep Willys CJ5
Ewerton Thays Sapo - Jeep Willys CJ5
Convidados
Barral
Bonebom Bonebom - Toyota Hilux
João Rocha Nonato Ranger - Ford Ranger

FOTOS DESTE EVENTO

Veja outros eventos do JCP realizados em Cametá/PA