Campos de Bragança 2006
21 a 22/10/2006 | Bragança/PA

Uma expedição aos campos de Bragança deve fazer parte do currículo de todo trilheiro, mas quem fez uma só, não pode dizer que já experimentou todas as possibilidades desses campos que fazem parte, quase que obrigatoriamente, do calendário anual do Jeep Clube do Pará. A Expedição Campos de Bragança 2006 foi presenteada com o nível ideal das águas. Seco de mais é só poeira. Com muita água só de barco. Este ano foi possível atravessar os campos com bastante dificuldade sem ter sido necessário cancelar nenhum trecho: alegria geral.

O ponto de largada foi a nossa, já conhecida e agradável, Toca da Amizade em Traquateua-Pa onde o grupo se reuniu as 8:00 h de sábado 21/10, vindos de Belém-Pa em três comboios que saíram na sexta à tarde, sexta à noite e no sábado mesmo, antes de clarear o dia. Iniciamos com um deslocamento de 15 Km por estradas de chão até as proximidades do Hotel Fazenda Vitória onde avistamos o primeiro campo, este já bastante seco. Abandonamos a estrada e começou a trilha em campo aberto onde ha alguns meses atrás só se andava de barco. Sem grandes dificuldades atravessamos o primeiro obstáculo, um córrego com fundo arenoso e, daí para frente, os desafios foram crescentes. Um segundo córrego de fundo lodoso e um terceiro mais profundo, mostraram claramente a necessidade de pneus de lama e snorkel, e ainda a grande utilidade dos guinchos. Teve gente que encontrou até peixe dentro do jipe, e não é história de pescador, está filmado.

A pausa para o almoço ocorreu forçosamente devido a necessidade de manutenção dos “submarinos” por volta das 13:00 h, quando a sombra das arvores compartilhamos e descobrimos as qualidades culinárias de muitos. A melhor parte ficou reservada para a tarde quando chegamos ao campo mais alagado. Uma grande linha de fogo cortava o campo quase inteiro, queimando o junco que curiosamente ainda estava em área alagada, e o pior, exatamente no nosso caminho, que foi previamente gravado no GPS durante o levantamento.

Tem males que vem para o bem. Com a ajuda de nosso guia local tivemos que criar um caminho alternativo para cruzar o campo, mas, justamente a área onde o junco ainda estava bem verde e não queimava, era a parte mais alagada do campo e mais difícil de transpor. Melhor pra nós que pudemos usar todos os recursos dos 4x4. Concluída a travessia retornamos já ao anoitecer Tudo isso regado a muita brincadeira pelo rádio, adrenalina, solidariedade e companheirismo.

Este evento teve a participação de 21 jipes, pilotados por 17 sócios e 4 convidados, com a companhia de 26 zequinhas.
Piloto Zequinhas Veículo
Roger Loro Mônica, Caio Sabonete de Motel - Suzuki Vitara
Rufino Neto Camaleão - Jeep Willys CJ5
Bernardes Adriana, Luciana, Felipe Simpson Rover - Land Rover Defender 110
Jambú Jambú - Jeep Willys CJ5
Gilmar L2001 - Mitsubishi L200 Sport
Professor Leandro, Mr Bean, Rosinha Tanque - Land Rover Defender 110
Jefferson Sheyla
Antonio Roda Arthur Roda, Carolina, Renata
Wilson Roda Wilson Filho
Sílvio Arthur Cebolão marvado - Jeep Willys CJ5
Vasconcelos Esperança Patchanga - Toyota Hilux
Chico Dadá Osama - Toyota Bandeirantes
Magaiver Cida, Renato Jamanta - Willys F-75
Jaime IG - Engesa EE-4
Gilberto Duelo Edi, Carol, Grégory Duelo II - Land Rover Defender 110
Tavinho Camila, Alcina, Flávia Boto I - Toyota Bandeirantes
Franklim Andressa Nega Braba - Toyota Hilux
Convidados
Caranguejo Caranga - Jeep Willys CJ5
Chico Santarém Rosangela Brabo - Land Rover Defender 90
Nonato Janaína Papu&Dinho - Land Rover Defender 110
Rodrigo Simões Lendia - Land Rover Defender 110

FOTOS DESTE EVENTO