Caminhos do Baixo Tocantins 2008

23 a 24/02/2008 | Moju/PA

Às 20 horas do dia 22 de fevereiro de 2008 o comboio do Jeep Clube do Pará, composto por 11 carros, saiu do Porto de Belém com destino ao porto do Arapari e de lá, via PA-150 seguiu até Tailândia. A viagem foi tranquila. Tão tranquila que a caixa de marcha do Pit-Bull, Jeep Willys do Rogério, dormiu e roncou pra valer, obrigando o piloto a sair do comboio e acelerar forte para acordá-la. Pelo jeito, o remédio funcionou, pois segundo Rogério, a medida que aumentava a velocidade, a caixa parava de roncar.

O comboio partiu de Tailândia às 9h30, com o apoio de motoqueiros locais, para realizar o primeiro trecho da trilha, composta por caminhos que cortam fazendas de reflorestamento com muitas subidas e descidas escorregadias em razão das chuvas que castigam a região. Isso proporcionou as já tradicionais brincadeiras, onde se verifica que piloto vence os desafios na primeira tentativa. No final deste trecho, uma passagem com lama junto a um açude fez com que alguns companheiros atolassem, necessitando da ajuda dos guinchos, que trabalharam bastante. Nesta etapa, o grupo que saiu de Belém no sábado pela manhã já tinha se incorporado ao comboio, que agora contava com o total de 15 jipes.

Voltamos a Tailândia, onde reabastecemos os veículos e seguimos para aquela que seria a parte mais difícil da trilha. Logo de cara, pudemos comprovar que as previsões estavam corretas, enfrentando trechos com muito água, lama, altos camaleões e muita chuva. Nada, no entanto, que a habilidade dos pilotos conjugada com a qualidade dos jipes não pudessem resolver.

Às 19 horas chegamos à fazenda do Sr. Fagundes, onde iriamos pernoitar. Fomos recebidos, inicialmente com certa desconfiança por parte do gerente em razão dos problemas com o Ibama, entidade do qual ele pensou que faziamos parte. Após as apresentações, a desconfiança dissipou-se e fomos recebidos com extrema cortesia e pudemos pousar uma noite agradabilíssima na fazenda, sob um maravilhoso luar.

No domingo, resolvemos voltar via Tailândia e não mais por Baião como inicialmente previsto, pois as informações repassadas pelo gerente da fazenda nos davam conta de que não havia mais lama neste trecho, e tomando outro rumo evitariamos a necessidade usar as duas balsas de Igarapé-Miri. Isso, sem contar que o caminho alternativo indicado nos levaria a enfentar novas e inúmeras dificuldades. Após este trecho, retomamos a PA-150 para seguir de volta para Belém. Esta expedição deixou saudades.

Este evento teve a participação de 10 jipes, pilotados por 9 sócios e 1 convidados, com a companhia de 7 zequinhas.
Piloto Zequinhas Veículo
Rodrigo Simões Tatiana Branquinha - Land Rover Defender 90
Antonio Roda Roger Loro Pé de Pano - Jeep Willys CJ5
Wilson Roda Wilson Filho
Jorge Roda Wilder SuperSuki - Suzuki Vitara
Vasconcelos Esperança Patchanga - Toyota Hilux
Iran Iran Neto Brutus III - Land Rover Defender 110
Jaime IG - Engesa EE-4
Gilberto Duelo Carol, Edi Duelo II - Land Rover Defender 110
Rogério Politi Pit Bull - Jeep Willys CJ5
Convidados
Clausto fobia - Engesa EE-4

FOTOS DESTE EVENTO