Expedição da Independência 2006

07 a 10/09/2006 | Marajó/PA

PATROCINADORES DESTE EVENTO

Os integrantes da Expedição Independência 2006 reuniram-se às 6h30 de quinta, dia 07 de setembro, para embarcar na balsa em Icoaraci com destino à Camará. O trajeto foi tranqüilo com todos animados, envoltos na expectativa de uma boa trilha. Ao desembarcarmos seguimos direto para balsa do rio Camará, e logo em seguida começamos a trilha pra valer. Nos primeiros quilômetros encontramos poucas dificuldades, porém o visual maravilhoso dos campos Marajoaras compensava a falta de lama. Após alguns problemas mecânicos, prontamente solucionados pelo nosso apoio, chegamos à Fazenda do Carmo por volta das 18 horas, onde fomos recebidos pelo proprietário, Sr. Cadico, que junto com sua equipe nos aguardavam na porta da entrada.

Mais tarde, pudemos saborear um delicioso churrasco feito com carne de novilho de búfalo. Após o banquete, nos reunimos no gramado da fazenda para apreciarmos a lua e fazer uma seresta embalada pelo som do violão do Nonato (convidado do Tonico), um show a parte na trilha como violeiro e piloto. Uma boa promessa para o JCP. Após uma boa noite de sono, de manhã alguns passeavam de lancha pelo rio Camará e outros cavalgavam pelos campos. Todos curtiam as belezas da Fazenda do Carmo. Após muitas fotos, fizemos nossos agradecimentos pela recepção ao Sr. Cadico e às 11 horas partimos em direção à Fazenda dos Anjos, nosso objetivo para o segundo pernoite.

No caminho através dos campos, encontramos as primeiras dificuldades após alguns atolamentos que envolveram Willys, Lands e Toyotas. Vencidos os obstáculos, continuamos nosso passeio pelo campo, onde, para nosso conforto, a terroada (piso seco e esburacado por causa das pisadas dos búfalos) estava amenizada pelo capim alto, tornando a passagem menos trepidante. Novos problemas mecânicos surgiram, obrigando a intervenção incansável de Barbosinha e Jaime, que mais uma vez resolveram tudo. Chegamos à Fazenda dos Anjos em torno das 16 horas. Vários integrantes do grupo foram conhecer um ninhal (viveiro natural de pássaros), enquanto outros preferiram logo armar o acampamento para curtir o pôr do sol da sede da fazenda.

Após o jantar, onde todos serviram-se de bastante carne, queijo do Marajó e outras delicias, o pernoite nos reservou duas atrações: a primeira um filhote de cobra (jibóia), que estava descendo do telhado da casa e assustou a alguns antes de ser capturada pelo Barbosinha. O fato justificou a preocupação da organização do evento em relação às cobras. A segunda atração foi, mais uma vez, o show do Nonato com o seu violão. Na manhã do sábado todos estavam ansiosos, pois o grande desafio estava para acontecer. A temida Baixada do Rosário, estava se aproximando e a adrenalina começava a subir. Para controlar a excitação, só mesmo o visual maravilhoso dos campos Marajoaras, comprovando que o Marajó é uma expedição que tem que fazer parte do currículo de todo bom jipeiro. Finalmente a Baixada do Rosário estava à nossa frente. Os jipes iniciaram a passagem obedecendo a numeração do comboio, tendo os primeiros se deparado com mais dificuldades. Boas brigas entre as máquinas e seus pilotos contra a lama e água. Quando todos acreditavam ter vencido o obstáculo, a surpresa: como uma vingança da natureza, quando os carros que se encontravam parados fora da trilha, aguardando a passagem de todos, começaram a se movimentar e atolavam novamente, pois os pneus estavam repletos de lama, perdendo a capacidade de tração.

Desta vez, após passagem total da Baixada do Rosário, o grupo não se perdeu nos campos, tal como aconteceu em 2003. Através do GPS foi fácil achar a estrada, e assim podermos chegar mais cedo à Joanes, onde teríamos nosso último pernoite no Marajó. O acampamento foi montado na praia, e após o jantar o Nonato com seu violão animou a noite. No domingo o dia foi livre, quando a maioria foi para pousada dos Guarás onde almoçaram, as crianças andaram a cavalo, e a discussão entre landeiros e toyoteiros continuava. O embarque na balsa foi tranqüilo e mais tranqüilo ainda foi o percurso na balsa, pois em todos estes anos indo a Ilha do Marajó, esta foi, sem dúvida, a travessia com o mar mais calmo. Um abraço a todos, e até a próxima expedição INDEPENDÊNCIA.

Este evento teve a participação de 19 jipes, pilotados por 16 sócios e 3 convidados, com a companhia de 21 zequinhas.
Piloto Zequinhas Veículo
Roger Loro Mônica Sabonete de Motel - Suzuki Vitara
Paulo Bentes
Dr.Joelho Rarrá Muleta - Toyota Bandeirantes
Rufino Neto Camaleão - Jeep Willys CJ5
Bernardes Adriana, Luciana, Felipe Simpson Rover - Land Rover Defender 110
Jambú Jambinha Jambú - Jeep Willys CJ5
Professor Magna, Leandro, Rosinha Tanque - Land Rover Defender 110
Wilson Roda Wilson Filho
Vasconcelos Esperança Patchanga - Toyota Hilux
Iran Iran Neto Brutus III - Land Rover Defender 110
Chico Osama - Toyota Bandeirantes
Vivi Sandra Penélope - Lada Niva
Jaime Guto Okamoto IG - Engesa EE-4
Gilberto Duelo Carol, Edi, Grégory Duelo II - Land Rover Defender 110
Nelson Trícia Pânico - Ford Ranger
Ewerton Thays Sapo - Jeep Willys CJ5
Convidados
Chico Santarém Rosangela Brabo - Land Rover Defender 90
Nonato Janaína, Imanoel, Tonico, Lucas, Catarina Papu&Dinho - Land Rover Defender 110
Rodrigo Simões Lendia - Land Rover Defender 110

FOTOS DESTE EVENTO